terça-feira, 30 de junho de 2009

Trela curta

HONDURAS

http://tirem-as-maos-da-venezuela.blogs.sapo.pt/

Será que este país não existe?

Se existe o seu presidente não teria sido eleito democraticamente?

E porque foi eleito democraticamente e põe em causa a permanência dos seis mil marines dos EUA foi tido pelos senhores da guerra como persona non grata!

Os "nossos" meios de comunicação social sempre tão nervosos quando a democracia fere os interesses do Tio Sam (tio deles) olham de soslaio para a Honduras e assobiam para o lado.

Rafeiros pela trela dos EUA.

VENDIDOS!


«O Povo é quem mais ordena»



Saiu-lhes o tiro pela culatra

O POVO SAIU À RUA!

E os "nossos" órgãos de "informação" já teriam dado por isso ou continuam com o açaimo?

Sem a mínima réstia de pudor a jornalista da Antena2 refere-se ao Presidente eleito Manuel Zelaya como ex-presidente.

Hoje 1 de Junho pelas 10 horas a jornalista continuava açaimada.

domingo, 28 de junho de 2009

Os nossos clássicos

Álvaro de Campos




Ora porra! Então a imprensa portugueza é que é a imprensa portugueza? Então é esta merda que temos que beber com os olhos? Filhos da puta! Não, que nem há puta que os parisse.

Continua o boicote da Comunicação Social ao PCP e à CDU.

O boicote da comunicação social à CDU e ao PCP continua, clara e descaradamente.

A CDU apresentou na
passada feira (25/6) os seus cabeças de lista às Assembleias de Freguesia em Lisboa.

Querem
saber o que é controlo de órgãos de comunicação?

A CDU, durante 4 anos, promoveu mais de 1 000 iniciativas em Lisboa e apenas 4 ou 5% tiveram a presença de um jornalista, sendo que, na maior parte dos casos esse jornalista era enviado pela Lusa, que depois distribuía a notícia.

Na 5ª feira apresentámos os cabeças de lista às Freguesias de Lisboa. Mandámos mais de 1 500 mails (3 correios em três dias sucessivos). Sabem quantos jornalistas estiveram no Terraço do Vitória? Um: o da Lusa!!!!

Sim, é possível. mostrámos nas Europeias que é possível crescer apesar da hostilidade e do silenciamento.

Para , visitem vocês mesmos todos os dias o sítio da CDU, em
http://cdudelisboa.blogspot.com
(É só clicar em cima do link)


quinta-feira, 25 de junho de 2009

Um milhão de palavras



É corrente dizer-se que uma fotografia vale por mil palavras.



Para esta um milhão não chegaria.



Veja-se o revolucionário Kerensky


Mas repare-se muito especialmente na expressão do Álvaro Cunhal!...

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Lúcidos e informados

Lúcidos e informados para
RESISTIR.INFO

http://www.resistir.info/crise/depression_p.html

«Este período de agitação e declínio da hegemonia estado-unidense, por outro lado, apresentará grandes oportunidades para o avanço das lutas dos povos e das forças que combatem por uma ordem social alternativa tanto nos países capitalistas avançados como, mais ainda, no interior do Terceiro Mundo. Isto, no momento em que a crise convence os povos do mundo da irracionalidade e barbárie do capitalismo. A emergência de irrupções militantes anti-Estado na Grécia, a greve geral de trabalhadores franceses, as manifestações na Islândia culminando na queda do governo, a ocupação de uma fábrica em Chicago pelos trabalhadores e manifestações de trabalhadores na Rússia e na China são arautos de lutas de classe iminentes.»

http://www.resistir.info/crise/depression_p.html

Original encontra-se em http://www.rupe-india.org/47/depression.html


(Poesia lúcida para amenizar)

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís de Camões

segunda-feira, 22 de junho de 2009

O bisturi da ironia


A crise económica e a insegurança através do humor de

Quino






A família Rosales reunida para resolver os seus problemas de: fome, insegurança, desemprego, impossibilidade de mandar os filhos para a escola, não ter assistência médica, não ter água corrente em casa, nem...


domingo, 21 de junho de 2009

Eu, sondador, me confesso!


"Fazemos magia a cada respiração"

Magia do Caos


Sondando um sondador:

Por que é que sonda? - Porque me pagam.

Para quem sonda? – Para os que me pagam.

E se não lhe pagarem? – Não sondo.

O objectivo principal do sondador? – Agradar a quem lhe paga.

Qual o tipo de sonda que utilizam e que, no seu entender, é a mais eficiente? - O eurão ou cifrão, tanto faz.

O que aconteceria se os resultados das suas sondagens não agradassem a quem as encomenda? – Não me pagavam.

A votação para o PE não esteve de acordo com as projecções apresentadas. A quem imputar tal discrepância? – Aos que me pagaram; desejavam que os resultados eleitorais correspondessem ao produto que me encomendaram.

Mas, assim sendo, há alguma hipótese de que alguma vez as sondagens sejam credíveis? – Sim, para os que me pagam.

As sondagens são caras? – Sim. Para quem não tem dinheiro para as encomendar.

A quem vende as sondagens? – A quem os resultados que apresento agradem e melhor me pague.

Deste modo, podemos concluir que há sondagens para todos os gostos. - Sim. Tenho sondagens por catálogo com preçário e possuo contactos telefónicos, disponíveis a qualquer hora do dia ou da noite, para satisfazer encomendas urgentes.

Por que razões na própria noite em que se publicitavam os resultados eleitorais e se denunciava o embuste que tinham sido as sondagens, nesse mesmo momento, nos estavam a infernizar com mais sondagens, então referentes às legislativas? – Porque me pagaram.

As sondagens encomendadas têm objectivos político-partidários? - Nunca pergunto aos meus clientes qual o destino que pretendem dar aos produtos que lhes vendo. Sou um profissional muito discreto.

Os que foram matraqueados com os seus embustes vão estar disponíveis para acreditar nas próximas sondagens? – Como não foram eles que nos pagaram, esquecem rapidamente.

Portanto é tudo uma questão de dinheiro!? – Claro. E não poderia ser de outro modo. É um negócio rentável, a clientela é segura e exigente, mas muito restrita.

Mesmo antes da campanha pré-eleitoral dava ao BE quase 18% e a CDU não passava dos 7%, confirmando-se nas urnas que a diferença não foi além de um décimo. Não crê que por vezes vão longe de mais? – É meu dever agradar à clientela que me paga. Não contrario os bons clientes.

Será que as sondagens não passam de palpites, como diria a minha tia, e os sondadores pregoeiros pouco recomendáveis? - Não respondo a provocações.

Quando será que deixarão de lhe encomendar sondagens? – Quando vivermos em democracia.

E quando é que isso acontecerá? – Quando deixar de haver sondagens.

Estamos esclarecidos.

(Honni soit qui mal y pense!)

sábado, 20 de junho de 2009

Os poemas são armas


31.2. / O Sentimento dum Ocidental

A Guerra Junqueiro

I

Ave-Maria

Nas nossas ruas, ao anoitecer,

tal soturnidade, há tal melancolia,

Que as sombras, o bulício, o Tejo, a maresia

Despertam-me um desejo absurdo de sofrer.

O céu parece baixo e de neblina,

O gás extravasado enjoa-me, perturba;

E os edifícios, com as chaminés, e a turba

Toldam-se duma cor monótona e londrina.

Batem os carros de aluguer, ao fundo,

Levando à via-férrea os que se vão. Felizes!

Ocorrem-me em revista exposições, países:

Madrid, Paris, Berlim, S. Petersburgo, o mundo!

Semelham-se a gaiolas, com viveiros,

As edificações somente emadeiradas:

Como morcegos, ao cair das badaladas,

Saltam de viga em viga os mestres carpinteiros.

Voltam os calafates, aos magotes,

De jaquetão ao ombro, enfarruscados, secos;

Embrenho-me, a cismar, por boqueirões, por becos,

Ou erro pelos cais a que se atracam botes.

E evoco, então, as crónicas navais:

Mouros, baixéis, heróis, tudo ressuscitado!

Luta Camões no Sul, salvando um livro a nado!

Singram soberbas naus que eu não verei jamais!

E o fim da tarde inspira-me; e incomoda!

De um couraçado inglês vogam os escaleres;

E em terra num tinir de louças e talheres

Flamejam, ao jantar, alguns hotéis da moda.

Num trem de praça arengam dois dentistas;

Um trôpego arlequim braceja numas andas;

Os querubins do lar flutuam nas varandas;

Às portas, em cabelo, enfadam-se os lojistas!

Vazam-se os arsenais e as oficinas;

Reluz, viscoso, o rio, apressam-se as obreiras;

E num cardume negro, hercúleas, galhofeiras,

Correndo com firmeza, assomam as varinas.

Vêm sacudindo as ancas opulentas!

Seus troncos varonis recordam-me pilastras;

E algumas, à cabeça, embalam nas canastras

Os filhos que depois naufragam nas tormentas.

Descalças! Nas descargas de carvão,

Desde manhã à noite, a bordo das fragatas;

E apinham-se num bairro aonde miam gatas,

E o peixe podre gera os focos de infecção!

Cesário Verde

sábado, 6 de junho de 2009

Depois queixe-se


O voto nos que têm feito política de direita


dá nisto



Há os eternamente enganados. Há os que depois negam ter votado nesse gang de corruptos. Há os que não votam dando assim força ao mais forte. Há os que se estão nas tintas e quando perdem o emprego entram em pânico.

Se não quiserem aprender não têm o direito de se queixarem.


Eu voto CDU


terça-feira, 2 de junho de 2009

A UGT VAI SER CONDECORADA. E EU?!


Após ter vendido os salários dos trabalhadores ao patronato; depois de com Cavaco Silva ter regado com champanhe uma das muitas traições feitas aos trabalhadores; depois de por prescrição se ter safado das tramóias onde rolaram milhões de euros


A UGT vai ser condecorada pelo homem a quem têm prestado prestimosos serviços.

Devemos reconhecer que o PR não é ingrato.



Então e eu?

Não tenho recebido subsídios nem mesmo para manter o quintal em pousio.


A minha produção de alta qualidade é ecológica.

E o PR não me agradece nem agracia pelo menos com a

"Ordem da Alface repolhuda"

Ai sim!

Pois vou votar na CDU



segunda-feira, 1 de junho de 2009

O PERGUNTADOR

O Bloco vai de carrinho ou de carinho?

Aos estúpidos não faço perguntas porque muito naturalmente as respostas têm a marca de origem.

Aos maus não coloco questões dado que a resposta é sempre viperina.

Não interrogo os oportunistas porque ou dão uma resposta sinuosa ou simplesmente não respondem.

Mas a todos os outros pergunto embloco”:

Porque razão em todos os meios de comunicação social pertencentes ao grande capital, absolutamente todos, se publicita e promove um partido que se manifesta contrário aos seus interesses?

Porque razão que desde o 25 de Abril todos os activistas da denominada extrema-esquerda têm sido colocados em altos cargos no aparelho de Estado, na banca ou gurus em grandes empresa.

Não é necessário ser-se inteligente para encontrar a resposta. Basta não ser estúpido, mal formado ou oportunista.