sábado, 30 de abril de 2016

Os mídia mentem também por omissão


Para a comunicação associal, muito naturalmente, dado que é porta-voz e bandeira do grande patronato, o descontentamento social que ponha em causa os seus interesses, não é notícia. Três exemplos de entre milhares:

Na Argentina, desde que o novo governo pró-Obama tomou posse, milhões de trabalhadores manifestam-se contra os despedimentos na função pública que se processam ao ritmo de mil por dia.
Em França pela 4ª vez em dois meses os trabalhadores lutam contra as leis anti-laborais do “socialista” Hollande.
«Salariés et étudiants sont à nouveau descendus dans la rue jeudi en France pour la 4e fois en deux mois. Des violences se sont produites à Nantes et à Paris. (Nantes, 28 avril 2016) AFP»
Por todo o Brasil cresce a mobilização contra o golpe, os ‘Sem Terra’ os ‘Sem Teto’ os anti-golpe em geral, juntam-se em jornadas políticas e culturais. Milhões de brasileiros continuam em luta pela defesa da democracia.
Nada disto é notícia, tampouco o avanço dos colonatos na Palestina e os crimes diários cometidos pelos nazissionistas, ou os jornalistas assassinados na Colômbia e Paraguai por noticiarem o que ponha em causa os interesses dos servos do imperialismo ianque.

Meios de comunicação alternativos, uma necessidade absoluta e urgente.








quinta-feira, 28 de abril de 2016

INFERNOS FISCAIS


Muito naturalmente, e com designação adequada para os que não sabem o que fazer ao fruto do saque a que nos sujeitam, esses anjos colocam as suas fortunas em “paraísos fiscais”, e nós absorvemos o termo e repetimo-lo com a maior das naturalidades: “paraíso fiscal”.

É tempo de combater o glossário imposto por esses parasitas e, cada vez que nos referirmos às grutas-offshore desses Ali Babá e seus milhares de ladrões, nomeá-las de ‘INFERNO FISCAL’, sem no entanto deixar de lhes dar luta para reavermos o espólio que nos pertence.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

sábado, 23 de abril de 2016

Desperta - Armando Silva Carvalho




não vejo o som mas só a lama
E acelero.

Quero atravessar este país depressa
Antes da morte.

não oiço a luz mas só o sono
E travo

Contigo, com os teus freios cansados
E as tuas jantes tortas.

Sigo esta pista de silêncio
E arrabalde de velhos.

Arrastamos connosco a história cega
E acrobata deste tempo.

Chamo a tudo isto uma gincana
Nas traseiras da Europa

não viajamos, vamos em ponto morto
E a meta é ali

Desperta.
.

Armando Silva Carvalho

in O Amante Japonês, p.36

quinta-feira, 21 de abril de 2016

25 de Abril, sempre! - Jorge Castro




25 de Abril, sempre!

na leveza em que a mão se abre em cravo
no enlevo dessa luz que vem beijá-lo
nós seremos sempre Abril
tão rubro e claro
se fizermos
sempre mais
para merecê-lo

Jorge Castro