segunda-feira, 22 de agosto de 2016

TRISTE AMÉRICA

(aqui)
Há duas Américas.

A América do mito, da liberdade, da música, da oportunidade oferecida a cada um. A da Silicon Valley, de Manhattan, da Google, da Facebook, da Wall Street e Hollywood.

E a outra América…

Um país que consagra metade do seu orçamento ao exército, perdendo todas as guerras. Onde uma em cada quatro crianças come na ‘sopa dos pobres’. Onde, proporcionalmente, tem mais presos que a China ou a Coreia do Norte. Onde velhos paralíticos expurgam penas de 150 anos. Onde todos os dias, mais de 30 pessoas são abatidas por armas de fogo. Onde os impostos para os mais ricos são de 15% e para os mais modestos de 25 ou 30%.

Uma democracia dominada por dois partidos que gastarão 7 biliões de dólares nas eleições de 2016 para continuarem a compartilhar o poder.

É esta triste América que nos descreve Michel Floquet, América que  percorreu durante cinco anos.

domingo, 21 de agosto de 2016

E se o BCE chumba a dona Ermelinda?

«Oito administradores chumbados pelo Banco Central Europeu»

BCE obriga novos administradores da CGD a irem à escola... e têm de passar  (Expresso)

“Leonor Beleza surpreendida com veto do BCE”

A dona Ermelinda ouviu a notícia e ficou em estado de choque. Se o BCE recusou a doutora Leonor Beleza e alguns dos seus futuros patrões, gente importante e bem cuidada, ela técnica auxiliar de limpeza, vulgo mulher-a-dias, farrapo social para os BCEs, podia ser enxotada sem mais nem quês ou, pior ainda, ter de voltar à escola para terminar a terceira-classe. As suas preocupações iam também para o António, formado em direito e que havia concorrido a porteiro da CGD. Será que o BCE lhe vai exigir o doutoramento?

«O Banco Central Europeu quer que os novos administradores da Caixa Geral de Depósitos frequentem ações de formação profissional relacionadas com atividade financeira; obriga-os a tirarem vários cursos no estrangeiro e a terem formação interna sobre o próprio funcionamento da CGD; exige saber se os cursos foram mesmo frequentados; e se os "alunos" passaram. (…) É o próprio Mario Draghi a exigir que três dos sete administradores executivos sejam obrigados a frequentar o curso de Gestão Bancária Estratégia do INSEAD ou outro programa com conteúdos similares

sábado, 20 de agosto de 2016

Preocupações enviesadas

“Desde dezembro, o governo militar [Egito] sentenciou pelo menos mil oponentes à morte.” Jornal o Globo 21/06/2014

«O Escritório do Alto Comissariado dos Direitos Humanos disse que o número de sentenças de 528 egípcios condenados à morte, na segunda-feira, "não tem precedentes e que o julgamento estava repleto de irregularidades."»

Tudo isto se passa sob o olhar vesgo do OCIDENTE, o tal cujos media fazem de um espirro uma tempestade e de um vendaval um suspiro consoante o que melhor interesse aos patrões.

Entretanto, e porque o golpe deu para o torto, a grande preocupação do MUNDO OCIDENTAL tem sido a pena de morte na Turquia, que se for implantada, que se… E por algo que não existe nem se sabe se existirá um dia, a comunicação associal diaboliza um dirigente que nada tendo de santo, deixou simplesmente de ser o cordeiro que tanto acarinharam enquanto lobo.

O Egito, para o Nobel Obama e os nazi$$ionistas de Israel, continua a ser uma boa ditadura militar, armada, financiada e acarinhada pelo OCIDENTE. Já a Venezuela é o horror dos horrores de tal modo horrível que liquidou o analfabetismo prejudicando gravemente o MUNDO OCIDENTAL.

Será que está doente o OCIDENTE? 

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Está escrito nos salmos”



“Já não aguento mais esta cantilena… está escrito nos salmos que terminou, que esta história da Presidente terminou, já cá não está” pregou o pastor evangélico e senador Magno Malta, membro da tropa de choque golpista. “O meu voto já está decidido há muito, nada o irá mudar”

Magno Pereira Malta é pastor evangélico e integrado na banda gospel Tempero do Mundo, político, cantor e senador, foi filiado além do PTB (Partido Trabalhista) e PL (partido Liberal), no PMDB em 1995 e no PST em 2001, presentemente pertence ao PR. Foi presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito do Narcotráfico e, obviamente, está envolvido em vários casos de corrupção.

É com esta fina flor do entulho que se constrói a democracia brasileira made USA.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Aniversário de Fidel

Ação financiada principalmente por leitores do jornal junge Welt, 160 posters assinalam em várias cidades suíças o aniversário de Fidel Castro.

as palavras são armas
felicita Fidel e o Povo Cubano.

sábado, 13 de agosto de 2016

Os dados estão marcados.

O guião traçado pela Wall Street continua a ser representado por atores siameses. O cenário é idêntico e o espetáculo espelha à exaustão a etílica democracia burguesa.
O multimilionário Donald é o vilão, o incapaz, o esgoto da política made in EUA, só diz baboseiras e pode pôr em perigo a paz universal, como se Obama não tivesse o mundo em pé-de-guerra. E no entanto este asco, confirmado por gente muito inteligente, perfila-se para ser eleito.

A madame Hillary com um percurso político estarrecedor é, cada vez mais, apresentada como o anjo que nos trás a mensagem da salvação, e até o “socialista” Bernie Sanders acendeu velas em seu louvor, e uma vez eleita todos os cretinos respirarão de alívio.

No entanto há mais dois candidatos concorrentes à presidência do Império e de quem ninguém fala, Gary Johnson do Partido Libertário com 10% de intenção de voto e Jill Stein do Partido Verde com 5%. Estes partidos não têm direito aos debates espetáculo, reservados só a Donald o mau da fita e à madame Hillary.
Os dados estão marcados.
O rosto da Wall Street vai mudar. É tudo!

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Os valentões


Agora que os radicais pequeno-burgueses de cueiros molhados e em acessos de birra levantam o punho, seria útil que lessem, caso tivessem condições para assimilar, um clássico que lhes serviria como pó-de-talco nas virilhas do bestunto.
 
«No papel é fácil escrever e ao microfone é fácil gritar: “chegou a hora do assalto final!” Para o assalto final, não basta escrever ou gritar. É preciso, além de condições objetivas, que exista uma força material, a força organizada, para se lançar ao assalto, ou seja, um exército político ligado às massas e as massas radicalizadas, dispostas e preparadas para a luta pelo poder, para a insurreição (…) Os radicais pequeno-burgueses são incapazes de compreender que os objetivos fundamentais da revolução não se alcançam reclamando-os, mas conquistando-os.»
Avaro Cunhal, «O Radicalismo Pequeno-Burguês de Fachada Socialista»
 

Primeiro parágrafo da INTRODUÇÃO ao Radicalismo Pequeno Burguês…, (1971) de Álvaro Cunhal:
«Com o desenvolvimento do capitalismo, a pequena burguesia toma cada vez mais clara consciência de que é uma classe sem futuro. O rolo compressor da centralização e da concentração capitalista e o incessante alargamento do poder dos monopólios vai desagregando, liquidando e proletarizando vastas camadas e setores da pequena burguesia. O facto de que representantes seus, se pronunciam por transformações radicais da sociedade, mesmo pela liquidação do capitalismo e pelo socialismo, é um índice dessa tomada de consciência e de radicalização política dela recorrente.»

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

“Governar é prever.”


As lágrimas não apagam fogos

O conhecimento coletivo acumulado, científico, tecnológico e toda a experiência vivida ou a de exemplos alheios, permite-nos ter meios para pelo menos minimizar os efeitos de catástrofes naturais ou provocadas por nós próprios.

Com base nesse conhecimento é necessário e indispensável investir e preparamos-nos para todas as eventualidades, porque as lágrimas não apagam fogos.

São critérios elementares a que os ditos governantes se têm mantido alheios. 

Os que sofrem são sempre os mesmos e os que se aproveitam do mal alheio também.


Vão surgir declarações de circunstância que se esquecem de imediato, só a angústia e o sofrimento ficam.