sexta-feira, 24 de março de 2017

A guerra dos bárbaros

Ilustração de Irene Sá

Para os senhores da guerra acabaram-se as fronteiras; soldados das forças armadas quanto baste para enquadrar mercenários disseminados por todos os continentes, globalizar a intranquilidade e o medo tendo como principais vítimas as estruturas sociais e as populações em particular. É a tática.

Relatar à exaustão os feitos da barbárie sem especificar que tudo se passa no sistema político que defendem, sem referir que tudo acontece dentro da lógica capitalista.

Os media, guarda avançada dos esquadrões da morte, abrem-lhes o caminho e são sua retaguarda ao ignorar ou justificar a carnificina perpetrada, vitimando-os.

Teme-se uma nova guerra, subterfugiu para não considerar como bélica a carnificina em que nos encontramos envolvidos, como se milhões de seres humanos fugidos dos bombardeamentos e, tantos milhões morrendo literalmente de fome, não fossem vítimas de um sistema sanguinolento que só assim sobrevive.

O capitalismo tem sido, é e será sempre o terror institucionalizado.
É UMA CONSTAÇÃO!



quarta-feira, 22 de março de 2017

Vai mais um copo?



O esmoler Jeroen Dijsselbloem líder do Eurogrupo e os súbditos do Sul
 
Os que nos empurraram para este buraco, andam lamurientos pelas esquinas dizendo qu’isto é um insulto, qu’isto é uma vergonha, qu’isto só visto e, não referem que o maior insulto a maior vergonha foi a assinatura escarrada nos Jerónimos perante todos nós pelo senhor Soares. A partir de então tudo foi possível.

Jeroen Dijsselbloem é um dos dirigentes desta “União” Europeia que nos rouba e insula; é a barbárie no seu melhor.
“Não posso gastar o meu dinheiro todo em bebida e mulheres e, depois disso, ir pedir a vossa ajuda”.
Sugiro que visitem os trabalhos de Jan Steen, genial pintor holandês onde de forma desbragada impera o vinho e as mulheres, são os avoengos do Jeroen Dijsselbloem.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Os nazissionistas a ONU e o beato Guterres


Quando a dignidade se impõe
A diplomata Rima Khalaf, secretária-geral adjunta das Nações Unidas e secretária executiva da Comissão económica e social para a Ásia ocidental (CESAO), sexta-feira 17 de março apresentou a demissão em sinal de protesto contra as pressões de que foi vítima, afirmando que o secretário-geral da ONU, António Guterres, lhe pediu para retirar um relatório acusando Israel de impor um “regime de apartheid” ao povo palestino. (Reuter) (ler mais aqui)

domingo, 19 de março de 2017

Um ponto de ordem à mesa…

Dêem-lhes as voltas que derem, sacudam o lixo dos tapetes da liberdade que defendem, enquanto os media pertencerem ao grande capital, a mediocracia de que se nutre a ditadura que nos é imposta continuará sendo o que de mais nefasto temos.

A comunicação associal é a arma mais letal que o imperialismo detém, este instrumento bélico condiciona diariamente biliões de cérebros destruindo as suas capacidades de autodefesa, impedindo um raciocínio lógico e colocando-os ao serviço das suas mais abjetas propostas.

Todas as grandes cadeias de televisão, rádio e imprensa pertencem aos donos de isto tudo, que por sua vez são monitorizados pelos Bilderberg e outros grupos criminosos. Como exemplo local temos toda, absolutamente toda a “informação” na órbita do grande capital nacional e estrangeiro.

Não há, não haverá nunca, democracia enquanto formos intoxicados por estes pestilentos hambúrgueres enlatados, armas de destruição maciça.  (aqui)

sábado, 18 de março de 2017

As Grã-Cruz e as Caricas

Há os que sorriem com algum menosprezo quando em remotas regiões os indígenas se condecoram com caricas de cerveja, abençoados sejam, e que um dia se lembrem de mim por serem puros, enquanto à minha porta os gangsterzinhos trocam condecorações entre si. Gente reles, burlões que se pavoneiam pelos salões dos get set e os media enaltecem.

 
TODOS A CONTAS COM A JUSTIÇA
O estilista da dona Maria Cavaco, que não está indiciado por qualquer trafulhice, também foi agraciado com a  Ordem do Infante D. Henrique.

As nossas condecorações não são esquisitas, tanto ornamentam o peito de um escroque como de qualquer imbecil.