sábado, 16 de fevereiro de 2019

Apontamento

O Ministro do Interior francês, Christophe Castaner, informou esta quinta-feira que cerca de 8.400 pessoas já tinham sido detidas desde que se iniciaram os protestos do movimento “coletes amarelos”, mantendo-se sob custódia 7.500. afirmou ainda que há 1.800 condenações e 1.500 aguardam julgamento.

Consta que o ministro Augusto Santos Silva vai chamar o nosso embaixador em Paris, aguardando que apareça alguém que se auto-proclame presidente interino.

O Palácio das Necessidades segue com muita atenção a vida democrática do Palácio do Eliseu.

 Dois palácios em confronto, um com necessidades e o outro...


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Em Bloco

Não saíram em fila-indiana, silenciosos, assim como quem não quer a coisa, saíram em Bloco para fazer estrondo, mas a coisa surtiu pífia, tiro de pólvora seca.
Esperava(?) o escarcéu na media de “referência”, os paparazzi na peugada dos dissidentes, mas não. A notícia dos 25 (vinte e cinco), um quarteirão de desertores é ilustrada com meia página de publicidade do dia dos namorados, {Público 13/2] imagem pouco apropriada, nem mesmo para arrufos, quanto mais para divórcios. Nem uma foto que identificasse a escaramuça ou imagem de algum dos personagens em confronto. É estranho, não é? Jornal, que diariamente nos mostra a Catarina Mortágua, como se de publicidade paga se tratasse.
  


Isto é o que ex-bloquistas dizem e que transcrevo pilatonicamente:

 “Sem espaço para a construção colectiva, perseguindo e expulsando militantes, manipulando eleições internas de forma a garantir a ficção de um partido coeso, ao mesmo tempo que a grande maioria dos e das aderentes se abstém em todos os processos de debate e decisão onde imperam os acordos de cúpula, o Bloco tornou-se numa organização hierárquica e cristalizada.”


“Pela nossa parte continuaremos o combate, pelos meios ao nosso alcance, para uma alternativa que não se limite a gerir o sistema existente, mas que procure os caminhos para sua superação revolucionária”.
 
“Procurar os caminhos para a superação revolucionária”.

Onde é que eu já ouvi isto?


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Um saco de gatos


 
Se colocarmos num saco, o Brexit e os coletes amarelos, o labirinto espanhol e juntarmos as escaramuças entre o italiano Salvini* e Macron. Isto para não nos alongarmos.

Que pedido de socorro é que sai do saco?

SALVEM A VENEZUELA!

A “União” Europeia é um saco de gatos com mandantes desprezíveis à trela das multinacionais. Os ingleses que resolvam os seus problemas com o prostíbulo de onde querem sair, o Macron que envergue um colete-de-forças, o Salvini dance a tarantela e o Sánchez cante a zarzuela, são problemas desta unidade colada a cuspo: MAS DEIXEM A VENEZUELA EM PAZ!

E o Santos Silva, mesmo desafinado, que vá cantar o fado da desgraça na Sala Oval da Casa Branca.

*O apoio vem pela voz do ministro do Interior, Matteo Salvini, que disse numa conferência de imprensa: "Dou todo o apoio possível aos franceses que, de forma educada e respeitosa, dizem ao presidente deles - que não pensa no interesse do povo francês - que quanto mais depressa se for embora, melhor!”