quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Contra o massacre de Gaza

PROTESTOS EM LISBOA CONTRA O MASSACRE DE GAZA
Acções de protesto contra o massacre da população de Gaza:
Dia 5 de Janeiro, Largo de S. Domingos (Rossio), 18 horas
Dia 8 de Janeiro, Embaixada de Israel, 17 horas
Estas acções estão a ser convocadas e organizadas pela CGTP, Comité de Solidariedade com a Palestina, CPPC, TPI, MDM, BE, Abril, FER, Rubra, PO, SOS Racismo, MDPPM, Gueto e outras entidades.
Do RESISTIR.INFO

"Foi bonita a Festa pá" -- autocolante/35

Não sorriam...
Foi bonita a Festa!
A N O N O V O
O V O N O N A

Os que alguma vez supuseram que neste sistema a felicidade era possível certamente que já perderam essa ilusão, mas se ainda a mantêm consultem o psiquiatra.

Nada de contemplações nem de paninhos quentes. É pegar ou largar. Ou se aceita a barbárie que nos tritura sofrendo as consequências de cara alegre ou empenhamo-nos com entusiasmo para a destruir.

A Rua é o nosso espaço, local de encontro e luta. Vamos para a rua com todos os deserdados, todos os agredidos e maltratados, na rua sim, porque a rua ainda nos pertence e é o que nos resta.

Eles não gostam, arrepiam-se. Ai que d’el Rei que o poder caiu na rua!

E nós gritaremos: Ai que d’el Rei que o poder caiu nos Bancos!
É ou não verdade?

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Nunca se perca a esperança


Vilancete Castelhano de Gil Vicente

Por mais que nos doa a vida
nunca se perca a esperança;
a falta de confiança
só da morte é conhecida.
Se a lágrima for cumprida
a sorte, sentindo-a bem,
vereis que todo o mal vem
achar remédio na vida.
E pois que outro preço tem
depois do mal a bonança,
nunca se perca a esperança
enquanto a morte não vem.

Carlos de Oliveira

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Os sionistas têm um Deus?

Se os sionistas tivessem um Deus este seria um dos seus anjos.


CANTIGA DO ÓDIO

O amor de guardar ódios
agrada ao meu coração,
se o ódio guardar o amor
de servir a servidão.
Há-de sentir o meu ódio
quem o meu ódio mereça:
ó vida, cega-me os olhos
se não cumprir a promessa.
E venha a morte depois
fria como a luz dos astros:
que nos importa morrer
se não morrermos de rastros?

Carlos de Oliveira

sábado, 27 de dezembro de 2008

Nazissionismo -- autocolante/34

A Comunidade Internacional e o Nazissionismo

Os nazissionistas continuam o genocídio programado e a “Comunidade Internacional” está preocupada. Os nazissionistas bombardeiam populações indefesas causando centenas de mortos e os líderes mundiais apelaram ao cessar-fogo. Os nazissionistas afirmam que vão continuar a carnificina. Solana e os Estados Unidos apelaram à moderação – à moderação, entenda-se -- e Sarkozy, a marioneta europeia de serviço “deplora as importantes perdas civis e exprime as suas condolências às vítimas inocentes e às suas famílias.”

Para quando Nuremberga?

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Por favor... Não! -- autoclante/33

Por favor… Não!

«O Bispo do Porto pede que a luz do Natal ilumine “políticos e economistas” neste tempo de crise. (Lusa)»

Estes economistas e políticos são governantes de pavio curto e jugulado, candeias besuntadas de soberba, corujas que sugam todo o azeite deixando-nos às escuras.

Auto-iluminados, encandeados pelo seu próprio esplendor, não enxergam, não sentem, “este tempo de crise”, porque só nossa é.

Não há luz que lhes valha, quer a divina, gratuita por enquanto, ou a da EDP que os governantes "iluminados" aumentaram em 5%.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Sádicos e provocadores

Sádicos e provocadores

A notícia chegou de tal modo prenhe de sadismo e provocação que fiquei sem saber se estávamos no Natal ou no 1º de Abril.

O cheque-prenda de dois mil e quinhentos e cinquenta euros oferecido pelos ministros e secretários de Estado ao primeiro-ministro para comprar uns trapinhos na Fashion Clinic vem mostrar à exaustão o à-vontade e o menosprezo da clique dirigente para com a arraia-miúda.

Para que o primeiro-ministro se nos apresente com a elegância necessária ao bem-estar que o Novo Ano promete é indispensável que continue bem vestidinho e assim se imponha com a pele de cordeiro que vem escondendo o lobo.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Crime adiado -- autocolante/32

Crime adiado

Não, não se trata de sectarismo, má vontade ou embirração.

O Partido Socialista absteve-se quando da proposta sobre a Directiva do Tempo de Trabalho feita no Parlamento Europeu. O partido dito socialista roça sem pudor pelo neo-fascismo moderado, moderado como designa o seu socialismo. Pretendia que a proposta fosse aprovada sem dar a entender que se encontrava no mesmo chafurdo.

«Declaração de Voto sobre a Directiva do Tempo de Trabalho no Parlamento Europeu pela Deputada do PCP, Ilda Figueiredo:

É uma importante vitória da luta dos trabalhadores a derrota que hoje o Conselho Europeu sofreu no Parlamento Europeu, não tendo conseguido que passassem as suas inadmissíveis propostas de alteração da directiva do tempo de trabalho, que punham em causa conquistas de mais de cem anos de duras lutas laborais. Destacam-se os casos em que pretendiam o prolongamento da jornada média de trabalho para as 60 e 65 horas semanais, a criação do conceito de "tempo inactivo de trabalho", que não seria considerado como tempo de trabalho e o ataque ao movimento sindical. Tudo isto foi rejeitado, o que também é uma derrota do governo do PS/Sócrates que se tinha abstido na posição do Conselho.

Depois da votação de hoje no Parlamento Europeu, a proposta do Conselho não pode entrar em vigor. Mas pode abrir novas negociações com o PE, ao contrário do que aconteceria se tivesse sido aprovada a proposta de rejeição que o nosso Grupo apresentou e que defendemos.

Por isso, apesar da importante vitória conseguida, não acabou a guerra contra a proposta do Conselho e algumas posições reformistas que se mostram disponíveis para aceitar algo em futuras negociações.

Vamos manter-nos firmes na posição de rejeição e apelamos à vigilância dos trabalhadores e suas organizações sindicais».
Se não estivermos atentos o Partido Socialista acabará por impor as "Praças de Jorna."
Não é que lhe não falte vontade.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Seja poupadinho! -- autocolante/31


Comprem, endividem-se gastando à tripa-forra. Não pode comprar? Nós damos-lhe crédito.

E num volte-face de 180 graus aparecem os mesmos ideólogos, politólogos e outros farsantes bem instalados na vida, a mandar uns bitates ensinando a poupar aos que sempre foram obrigados a gerir orçamentos de fome.

E apresentam-se com a ligeireza e o à-vontade de qualquer vendedor da banha de cobra.

São os encarregues de despejar óleo no mar agitado sem fazer referência à origem da tempestade.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Larioas

Em guarda.

A crise radica-se e a fome espreita.


Parcos são os recursos, enorme a necessidade, inexcedível a imaginação que, em golpes de magia, constrói um repasto, dá-lhe nome e a indispensável benção.


Do toucinho alto cortado às tiras fazem-se torresmos, e na gordura extraída fritam-se batatas e fatias de pão caseiro.

Pão, batatas e torresmos: um trio para saborear... a solo.

Do livro "Valores danossa terra" Manique do Intendente
Azambuja

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Aos industriais de calçado -- autocolante/30


Abriram-se oportunidades revolucionárias na exportação de sapatos portugueses para o Médio Oriente.

Porque sou solidário ofereço gratuitamente para bem dos industriais e da economia, e dos trabalhadores se ainda sobrarem alguns trocos, a frase chave que vos pode abrir as portas desse vasto mercado:

“O sapato português acerta à primeira vez.”

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Os mídia e o Manel

Última hora.
Acabei de ver a entrevista de Manuel Alegre com a Judite de Sousa.
Confirma-se!
o homem está mesmo choné.
O poeta admitiu ter "muito gosto em aparecer ao lado do secretário-geral [Sócrates]". DN 18/12/08
A paixão assolapada
dos mídia pelo Manel
é balada coimbrã
ou romance de cordel?


O produto deve ser publicitado para ter melhor procura. É dos livros.
A semana passada foi anunciado o magno lançamento que teve lugar no domingo e desde então os jornais estampam fotos enormes a três dimensões – frente, costas e lado esquerdo – e como seria de esperar a TV não o esqueceu.

As indefinições e os tabus, o esoterismo e o baralhar de cartas para falsear o jogo político têm sempre grande cobertura mediática.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

A sanita e o mau cheiro

Reforcem a tampa das sanitas

Os oito ex-administradores do BCP abotoaram-se com mais de 400 milhões de euros e se fossem condenados por crime tão insignificante, segundo o estipulado pelo novo enquadramento legal aprovado a semana passada pelo PS/PSD/CDS, por mero acaso, teriam que devolver 10% do saque.

No mesmo vespertino, ao lado desta notícia anunciam-se tampas para sanitas de maior eficácia e de design moderno.

Além do obsoleto spray surgem sempre soluções para o mau cheiro.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O às de copas do Manel

O às de copas

No “sobe e desde” do “público” o Alegre sobe e é referido como “o às de trunfo de todas as esquerdas”. Se o trunfo for copas, o Manel será numa lógica linear, o “às de copas da esquerda.”
Uma chamada para o "às" na primeira página e uma enorme fotografia numa página consagrada ao "às" e ainda mais "às" na última página.
A direita tem amores que a razão desconhece.
Desconhece!?

domingo, 14 de dezembro de 2008

O Professor

1976

Democracia marcelina

E o Professor Marcelo no seu neo-marcelismo bem encenado na RTP1, esboçando a sua concepção de democracia quanto à decisão de repetir o referendo na Irlanda bolçou:

“Foi bom para ver se os irlandeses se tornam mais europeus.”

Seco, preciso e incisivo!

Ao professor não foi dada a possibilidade de saber se era mais ou menos europeu que os irlandeses.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Do que é que eles riem? -- autocolante/29

Riem-se de quê?
Folheio os jornais na área da economia e deparo com rostos sorridentes. Um dos gansgester da Fortis Bank de tacha arreganhada; viro a página e outro propagandista do sistema em "o caminho para a depressão" com a felicidade estampada na fachada faz-nos querer que vivemos no melhor dos mundos.
Ao sair de uma reunião Sarkozy e Durão dão azo ao seu contentamento.
Porque razão só o Zé Povinho anda triste?

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

O luxo e o lixo

O luxo e o lixo

Numa linguagem aveludada o vespertino informa-nos que “a crise é mais branda nos produtos de luxo”. Mais branda, notem bem. Uma crise fofinha, amanteigada, tenrinha. E que o segmento do luxo deverá apresentar um crescimento de 3% este ano. Evitam-se os vocábulos ricaços, capitalista, usurário porque estão todos englobados numa só palavra: “segmento.” Estes segmentários compram casacos de peles a oito mil euros, mais de 16 meses de um salário mínimo.

“O PIB per capita Portugal afastou-se mais da União Europeia entre 2005 e 2007”. Afastou-se! …

Ler a “A intoxicação Linguística” de Vicente Romano
é cada vez mais necessário e urgente.
Uma prenda de grande valor e relativamente em conta.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Nós e a Grécia -- autocolante/28

Nós e a Grécia

Ouvi na rádio que numa onda de revolta sem precedentes as agências e os balcões do Millennium/BCP estavam a ser destruídos. Os jornais transcrevem declarações de jovens: “Não toleramos mais este governo, temos 25 anos, terminámos os estudos, e só nos resta partir para o estrangeiro” e “há toda uma geração que vê os seus pais endividados até aos dentes e que sente que o futuro não lhes vai trazer nada de bom”. Um jornalista esclarece que “estes motins são sobre o medo e o desespero” ou diz a AFP, “O Estado, não é visto como uma instituição que trabalha para o bem comum” ou ainda que “a corrupção no sector público, a falta de investimento em sectores chave como a educação ou a saúde, o autismo de um poder que não percebe os verdadeiros problemas das pessoas” são o húmus da revolta.

Assomei à janela. Surpreendido verifico que ainda não é aqui.

Mas... não tenho pressa.
Fico à espera.
DE PÉ!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Os banqueiros

A porca é nossa e está magra, e mesmo com a gamela vazia os insaciáveis continuam a mamar.
O BPP faz a ronda, a engorda dos outros é também sua.
Quanto à crise teremos que ser nós a resolve-la.
E que tal um almocinho na Bairrada?

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

MANDAMENTO FRATERNAL -- autocolante/27


MANDAMENTO FRATERNAL

É um mandaMento difícil Ser Camarada

Cumpri-lo valeu a prisão e o exílio e a morte Cumpri-lo susCita vigilância reforçada CondeNação a observações no passaporte Porque um Camarada dorme e acorda de pé e quando se retira é para se rearmar Porque ele crê quando a maioria perde a fé Porque ele é o mais disponível para arriscar É um mandaMento difícil ser Camarada Porque eles não toleram que alguém tenha um só rosto Porque eles vêem nas multidões uma maNada

Porque eles temem um Camarada vivo ou morto

Porque eles gostam da servidão e do silêncio

E não encontram num Camarada um bom exemplo

César Príncipe

domingo, 7 de dezembro de 2008

Atingimos a meta -- autocolante/26


Atingimos a meta

“EUA o país feira da ladra”
Jim Kunstler


Uf! Já não era sem tempo! Sempre no pelotão da frente, esfalfados, banhados em “sangue suor e lágrimas”, aplaudidos por tudo o que é canalha chegámos à meta das nossas aflições. Desde que Soares, o ideólogo da equipa, pegou no selim e deu o primeiro impulso na partida, abençoado por Carluci, homem forte da CIA, lançámo-nos na recuperação pedalando, pedalando sempre ajudados pelo FMI, OMC, G7, OCDE, Bildelberg e outras organizações mafiosas, acarinhadas e exaltadas nestas últimas três décadas por todos os governantes sem excepção. E dopados por uns, empurrados por outros suámos as estopinhas até atingir o magnifico objectivo: O sonho americano!

No pódio, para galardoar os países onde a repartição dos bens comuns é a mais injusta, encontra-se o México, medalha de ouro, a Turquia medalha de prata e nós, medalha de bronze ex aequo com os Estados Unidos da América. Que orgulho, os dois abraçados, muito apertadinhos no terceiro patamar… Valeu a pena o esforço e toda a tranquibérnia utilizada nestes magníficos trinta anos, o tempo de vida do santo mercado livre, perante o qual todos se ajoelharam implorando benesses e, apoiando-o, maltrataram os que nunca o aceitaram. Hoje, à socapa, esses mal-agradecidos vão jogando pedrinhas ao defunto neoliberalismo e até o bushófilo Sarkozy vem dizendo que não senhor “este capitalismo é uma traição ao tipo de capitalismo em que acreditamos”. Não têm emenda, empurraram-nos para o abismo e continuam a querer ajustar-nos as algemas.

Não desesperem, iremos acompanhar o Tio Sam sempre com um discurso grandiloquente, nesta descida aos infernos. Atendendo à intensidade, os sismos registados até agora não passam de pequenos tremores de terra. A intensidade oito ou nove da escala de Richter só se fará sentir a nível social dentro de uns seis meses na melhor das hipóteses e “a percepção da mudança pela maioria dos cidadãos não se verificará senão quando já esteja bem avançada”, ou seja, quando se encontrarem entre os escombros ou arrastados pelo maremoto.

O sonho americano está cumprido, agora, como diria Fernando Pessoa,
“falta cumprir-se Portugal.”

Com esta gente!?

Cid Simões
fcidsimoes@sapo.pt
(crónica lida na Rádio Baía também on-line)

sábado, 6 de dezembro de 2008

Para não esquecer

Foi por esta altura que o mariola nos sacou o 13º mês.
Lembram-se?
Quem foi e quando?
O esquecimento é um bumerangue!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

"Bacalhau à Comunista"

Esta receita não foi tirada das Teses do XVIII CongressoPCP, nem creio que seja do conhecimento do anterior ou do presente Comité Central, encontrei-a no livro "A Cosinheira das Cosinheiras", editado em 1941, tendo atingido dez edições.
Podemos concluir que a censura não dava importância à culinária e que a Dona Maria nunca teve conhecimento da receita, caso contrário tinha-lhe dado um fanico.

Sugiro que este prato seja servido omeopaticamente aos que se engulham com o vocábulo "comunista" para se desentoxicarem, ao ponto de, com o hábito, comerem e chorarem por mais.
BOM APETITE!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Perguntar não ofende -- autocolante/25

Sócrates é o sexto homem mais bem vestido do mundo!
E despido?

O farsante -- autocolante/24

O Manuel Alegre pela milésima vez ficou indignado com o Partido Socialista.
O P.S. esfrangalha-lhe os nervos e o M.A. anda enervado. Coitado!
O M.A. é um péssimo actor mas na farsa é doutor.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Luta contínua -- autocolante/23

Greve de que ano?
CTT, um boião de mel onde os grandes senhores se têm lambuzado à saciação; para os trabalhadores a quem lançam vespas envenenadas só lhes resta lutar.
E lutam!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

XVIII CongressoPCP

(foto surripiada ao RESISTIR.INFO)
Organizados e confiantes voltámos ao local dos nossos grandes comícios.
Se não devemos esperar pelo tempo também não o devemos ultrapassar.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocolante/22


1.4.4. Sem dúvida que o caminho do socialismo se revelou mais complexo e mais acidentado e demorado do que os grandes avanços libertadores alcançados no caminho aberto pela Revolução de Outubro faziam prever. E que o movimento comunista e revolucionário não recuperou ainda de grandes retrocessos da década de 90. Nada disso anula, porém, a realidade de que a época em que vivemos é a época da passagem do capitalismo ao socialismo, inaugurada pela Revolução de Outubro, que o capitalismo não só não resolve como agrava os graves problemas do nosso tempo, que só o socialismo pode responder às mais profundas aspirações dos trabalhadores e dos povos e salvar a Humanidade da catástrofe anunciada pela insaciável gula do capital. É com esta profunda convicção que o PCP aponta para Portugal e para o mundo, o socialismo como possibilidade real e a mais sólida perspectiva de evolução da Humanidade.
ENCERRADO ATÉ AO FIM DO CONGRESSO

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocolante/21

4.9.5.2. A Festa do Avante! pujante obra colectiva, com as suas características ímpares, permanente aperfeiçoamento e inovação, afirma-se como grande realização nacional e internacional.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocolante/20


2.4.3. Portugal não está condenado à estagnação económica e ao definhamento do seu aparelho produtivo, à persistência dos crónicos défices energético e alimentar, a um modelo de desenvolvimento assente em baixos salários e na fraca incorporação científica e tecnológica no processo produtivo, à crescente dependência das orientações e interesses da União Europeia e dos países que a comandam, à exposição das crises do capitalismo.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

A morte dos três chineses -- autocolante/19



“As palavras são como doses minúsculas de veneno que podemos engolir sem darmos conta.
Vicente Romano in Intoxicação Linguística


Os telejornais deram-nos o privilégio de sermos informados de um acidente que vitimou três cidadãos chineses, privilégio que provavelmente não tiveram os seus concidadãos; quando morre um chinês, ou mesmo três, nem todos os outros são informados. Mas nós, sim!

Nesse mesmo dia trabalhadores portugueses teriam dado entrada nos hospitais devido a acidentes de trabalho, alguns vão ficar impossibilitados de fazer uma vida normal durante o resto dos seus dias, ou não resistindo a ferimentos encontram a morte que não constará nas estatísticas. Todas as semanas morrem mulheres vítimas de maus-tratos, e para que morram devido a agressões, quantas centenas não serão agredidas diariamente. Mas tudo isto vem fazendo parte da rotina deixando, obviamente, de interessar às redacções dos media, nomeadamente os ditos e referência.

Mesmo contando com a omertà, código de silêncio, o BPN vai continuar a ser notícia este fim-de-semana. Desconhece-se se o detido é o Padrinho ou, como acontece normalmente, não passa da parte visível do iceberg. As ramificações entrelaçam-se, de tal modo, que é difícil encontrar a ponta da meada. Os vários gangs entram em choque ao levantar ligeiramente o véu das conivências e, assim, exercendo veladas chantagens. O Menezes do Norte afirmou que foi ameaçado por ex-ministros ao tentar abrir o saco podre, deixando um amplo espectro de ex-ministros sob suspeita. O Loureiro é desmentido pelo ex-vice-governador e pelo próprio governador do Banco de Portugal e o Partido Socialista começou por recusar ouvir o ex-ministro de Cavaco Silva e Conselheiro de Estado por ele proposto que, por sua vez, sem que aparentemente nada o justifique, vem dizer, que para aí não pôs prego nem estopa; esse mesmo ex-ministro que apresentou a biografia de Sócrates, seu menino de oiro, a quem teceu os maiores encómios.

Prevê-se, pois, como irão estar ocupados os nossos meios de comunicação social, não contando já com a hipótese de neste mesmo fim-de-semana falecerem mais meia dúzia de chineses ou, como está previsto, estoirar outro banco onde só funcionam as grandes fortunas.
Os denominados congressos, decididos e organizados em poucas semanas, esse folclore político onde barões desavindos se agridem verbal e fisicamente e de onde tem emergido a fina-flor da máfia que está a ser investigada, têm tido uma cobertura total e em directo, nomeadamente da rádio e da televisão.

O Congresso do Partido Comunista Português que levou um ano a preparar e em que se discutiu “o Projecto de Resolução Política”, cerca de cem páginas A4, está a realizar-se neste momento no Campo Pequeno com a participação de centenas de delegados e milhares de convidados; aqui serão analisadas as questões mais pertinentes da nossa vida colectiva e, como não se prevêem insultos nem fofocas, será relegado para as páginas menos nobres dos jornais e na televisão não terá mais que dez por cento do tempo concedido aos mercenários portugueses, assassinos profissionais, que se especializam em Israel.

“Entre os jornalistas, embora sejam raros, podem existir casos de ingenuidade profissional, mas em informação nada há que seja inócuo”.

NADA!

Cid Simões
fcidsimoes@sapo.pt
(crónica lida na Rádio Baía também on-line)

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocolante/18


3.11.1. A vida comprovou que não há alternativa política nem política alternativa sem o PCP. A questão mais urgente, mais necessária e mais decisiva para tornar sólida e credível a construção de um outro rumo para a vida política nacional é o reforço do PCP e da sua influência social, política e eleitoral.

sábado, 22 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocoloante/17

4.7.9.4. O estímulo à militância e à participação dos militantes, alargando a consciência que a força do Partido é determinada pela acção dos seus membros no quadro do colectivo partidário. Assume particular importância que além de tarefas pontuais cada membro do Partido possa assumir tarefas regulares de acordo com as suas possibilidades e disponibilidades, por pequenas que sejam.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocolante/16


2.2.14. A tese sobre um Estado regulador visa iludir o papel do Estado enquanto instrumento que impõe, no quadro do capitalismo, a manutenção e aprofundamento das relações de produção baseadas na exploração. A ideia de um Estado e de um poder acima da vida económica e sem vocação económica, supostamente confinado a um papel de mediador de conflitos nos casos em que o mercado se revelasse incapaz de assegurar a harmonia das relações económicas, visa iludir a natureza de um poder político inteiramente subordinado e ao serviço do poder económico. A ideia de uma regulação atribuída a entidades apresentadas como «independentes», visa iludir a missão que lhes está atribuída de garantir a gestão dos interesses e dos ganhos dos grandes grupos económicos que operam nas áreas que regulam.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

O antropólogo -- autocolante/15

O antropólogo e o Largo do Rato

O medo vai ter tudo
quase tudo
e cada um por seu caminho
havemos todos de chegar
quase todos
a ratos

Sim
a ratos
Alexandre O’Neill


Quem “havera” de dizer! Assim se teria expressado a minha prima Alice se tivesse tido conhecimento de um aprofundado estudo sobre o Largo do Rato, feito pelo antropólogo francês Aymeric Bole-Richard, no âmbito de um doutoramento em antropologia social.

Aos antropólogos não compete embrenharem-se pelos domínios da toponímia, deixando essa tarefa a nosso cargo. Assim, foi-nos dado saber que o convento ali instalado era apadrinhado por um indivíduo conhecido por “o rato” que, com esta pouco dignificante alcunha, crismou o local. Não devia ter sido boa prenda, presumo, porque rato não é animal de estimação nem simboliza bons princípios ou sãos comportamentos.

Quando teve conhecimento do estudo, a senhora Ferreira Leite, de imediato, procurou saber o que teria encontrado no Largo do Rato o académico francês para sobre ele se debruçar, indagou ainda por que razão estando a tão curta distância do ‘bunker’ da Lapa, como o define Filipe Menezes, o ignorou tão ostensivamente e, com este seu comportamento não conseguiu esconder uma pontinha de inveja; mas se tivesse tido acesso às conclusões do antropólogo, ver-lhe-iamos iluminado aquele seu charmoso sorriso/careta.

Quem é que já não ouviu falar do Largo do Rato?

Pois bem: sabem o que, segundo o abalizado antropólogo, tem o Largo do Rato além de uma fachada perigosa? O gaulês define-o como “o lugar mais hostil e desumanizado da cidade.”

É preocupante! Nós já disso nos tínhamos apercebido desde há muito, mas ainda ninguém havia tido a coragem de ser assim tão frontal: O Largo do Rato, é “o lugar mais hostil e desumanizado de Lisboa ” e, assim sendo e por arrasto o mais hostil e desumanizado do país. É obra!

A municipalidade devia colocar em todas as artérias convergentes sinalização como a usada nas auto-estradas, advertindo a quem do Largo de Rato se aproxime que o local “é hostil e desumanizado” e comunicar à Protecção Civil que esteja atenta porque dali só nos têm vindo não maus ventos, mas ministros malquistos.
Entretanto devemos manter-nos confiantes pois tal como diria Paul Éluard “au bout du chagrin une fenêtre ouverte une fenêtre éclairée” e o nosso antropólogo, compatriota de Éluard, também nos deixa uma grande janela aberta de esperança nestes momentos tão difíceis que vivemos. Afirma o doutorando que “de vez em quando ainda pode observar-se formas espontâneas de encontro e de ocupação cidadã no Largo do Rato, como por exemplo, a manifestação dos sindicatos de 2 de Março de 2007, em que durante cerca de uma hora e meia o largo se metamorfoseuou num espaço realmente humano.”

Esta conclusão não saiu da CGTP, mas de alguém que num colóquio no Goethe-Institut de Portugal explanou os seus doutos conhecimentos, fruto de aturados estudos.

Para bem da cidade, nomeadamente do Largo do Rato, devemos ter em conta que é necessário e saudável que todas as manifestações tenham como itinerário obrigatório esse local que tão carente de humanização está.

Que me perdoem os honrados cidadãos que, desde sempre, ali têm vivido e hoje suportam o trânsito, outros aborrecimentos e encontros indesejados.

Cid Simões
fcidsimoes@sapo.pt
(crónica lida na Rádio Baía também on-line)

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocolante/14


2.2.6.1. A análise dos maiores Grupos Económicos Nacionais no final de 2005, mostra-nos que dos doze grupos com lucros mais elevados, com um valor superior a 250 milhões de euros, apenas dois se encontram ligados predominantemente à actividade produtiva (cimentos – Cimpor e papel – Semapa). Este conjunto de Grupos Económicos, ao mesmo tempo que a nossa economia crescia a um ritmo médio de apenas 1,3% entre 2004 e 2007, viu os seus lucros aumentarem de 75%, atingindo os 6,8 mil milhões de euros – 4,2% do PIB.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Teses do Dia -- autocolante/13

4.13.3. A liquidação da exploração do homem pelo homem é uma tarefa histórica que só com a revolução socialista se pode concretizar. É por esse projecto que gerações de comunistas e trabalhadores combateram, é por esse projecto que os comunistas portugueses lutam neste Portugal do século XXI.

domingo, 16 de novembro de 2008

Teses do dia - autocolante/12


Congresso
Campo Pequeno 29, 30 Nov. 1 Dez.
2.2.8. A generalidade dos grandes grupos económicos possui hoje incomensuráveis capacidades e instrumentos para o exercício de um efectivo poder ideológico, através de meios para a produção e transmissão, directa e indirecta, da ideologia dominante.
É particularmente significativa a sua posição no sector dos media, onde alguns grupos – Cofina, Impresa, Controlinvest, Sonae Com, Impala – absorveram mais de uma centena dos principais órgãos de comunicação social, com influência decisiva na formação e condicionamento da opinião e dos comportamentos dos portugueses. O recente e crescente domínio por estes grupos do sector editorial, as suas acções de promotores e mecenato no campo das artes e a sua articulação multifacetada com estruturas do ensino (do Básico ao Superior) e de Investigação e Desenvolvimento, contribuem igualmente para a sua hegemonia no plano da produção ideológica
.

sábado, 15 de novembro de 2008

Teses do Dia / 2

Teses do Dia

O Congresso que se avizinha
1.2.11. A militarização das relações internacionais foi a vertente da ofensiva imperialista que mais se desenvolveu nos últimos anos. O mundo está hoje profundamente instável e inseguro. A retórica capitalista sobre a paz, que se sucedeu às derrotas do socialismo na União Soviética e Leste Europeu, é desmentida por uma realidade assente na multiplicação de guerras imperialistas de ocupação e na afirmação do militarismo como arma política e económica das maiores potências capitalistas.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Teses do dia - autocolante/11

XVIII
CongressoPCP
29/30 Nov. 1 Dez.
"Teses do Dia"
4.3.1. A situação da Humanidade neste século XXI mostra claramente que o capitalismo não só não resolve as suas contradições insanáveis, que condenam ao obscurantismo, à fome, à doença e à exploração milhões de seres humanos, como agrava o seu carácter explorador, opressivo e promotor da guerra.


quinta-feira, 13 de novembro de 2008

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

E não baixaram os braços - autocolante/6

Poucos dos que têm reindivicado os seus direitos nestes últimos tempos estiveram nestas manifestações. Ao contrário do que alguns esperavam uma nova geração pegou no testemunha e mantem-se firme.
E manter-se-à!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Inimigo com pezinhos de lã

"Não há informação inócua"
Vicente Romano
Entra-nos em casa com pezinhos de lã, morde-nos a inteligência e esconde-nos ou empesta a verdade. Vamos(?) para a cama com a imagem deturpada dos governantes, dos nossos problemas reais e do mundo em que vivemos.
É infecta e infecciosa!

domingo, 9 de novembro de 2008

sábado, 8 de novembro de 2008

Professoras de hoje, professoras de Abril (autocolante/9)

Não é sentado que se espera pela esperança.
Determinadas, transmitindo-nos confiança, mostraram aos mais débeis que a luta é o caminho.
Que os homens me desculpem mas este autocolante de há não sei quantos anos motivou-me este comentário.

Consciência reforçada

Espero imagens de hoje.
A luta reforça a consciência e torna-nos mais solidários.
Esta fotografia merece um póster!

Lutas de ontem e de sempre (autocolante/8)

Desconheço a data e a origem
(é simplesmete mais um autocolante)