domingo, 30 de julho de 2017

Disse e riu…

“Eleição da Assembleia Constituinte da Venezuela não é um ato democrático”.
A Catarina lançou a atoarda, assim, a rir, contente por se colocar ao lado do fascista Capriles, e certa de que os jornais de referência que a apaparicam quanto podem, vão continuar a publicar muitas fotografias suas e as televisões dormirão a seu lado de câmaras em riste.
“A líder do Bloco Esquerda (BE), Catarina Martins, disse hoje em Oliveira do Hospital, no distrito de Coimbra, que as eleições para a Assembleia Constituinte da Venezuela não são um ato democrático.” DN

Que os mais obtusos se coloquem esta questão:

Por que razão a direita mais cavernícola está contra esta consulta eleitoral e o Bloco também?


Sem comentários: