segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Temos mais um rio

[só boas referências: Áustria, Hungria, Polónio…]

Não é um Rio Maior, é pior, é um rio de nascente poluída por décadas de despejos ilegais, atentados à natureza humana, que destruiu a vida de uma sociedade que se desejava saudável. ‘Dessa água não beberás’ proíbe-nos a ASAE, nem a utilizes tampouco para lavar o chão, vem de um rio empestado por dejectos que contêm bactérias estudadas em laboratórios e classificadas cientificamente como duarteslimas, diasloureiros, oliveirasecostas ou o laparoto passos que causou mais estragos que a legionella.
O rio é perigoso, obviamente, e um grupo de cidadãos preocupados com a saúde pública já denunciou a catástrofe ambiental às autoridades competentes. Propõem a criação de um dique para que um mar de gente não seja contaminada, colocar placards alertando as populações mais distraídas e lembrar todos os males que nos tem causado.

“É PRECISO AVISAR TODA A GENTE”

3 comentários:

Francisco Manuel Gentil Apolónio disse...

E, principalmente, travar os causadores, travar essa gente!

Bordalesco disse...

Muito bom! O pior é que as gentes
não querem ser avisadas, sabe-lhes melhor as águas contaminadas. Até um dia em que se sentirão sufocadas.

Olinda disse...

Desconhecia que o Bilderberg era tão credenciado e,com tal currículo,pode ser um produto inundante.Haja margens para o deter!Abraço