domingo, 2 de agosto de 2009

Prémio Prior de Trancoso

Progenitor de cerca de 300 filhos, julgado por luxúria, o Prior de Trancoso foi amnistiado pelo rei e colocado na Beira Alta região de baixa demografia.


Ao ser divulgado o programa do Partido Socialista para as legislativas de 2009, nessa mesma noite, as audiências televisivas baixaram assustadoramente. No engodo dos 200 euros anunciados para cada bebé que nasça em Portugal, homens e mulheres na idade de procriar abraçaram-se nessa doce empreitada de plantar homens para salvarem a Banca dos apuros em que se encontra e, dispostos também, graças a tão patriótica medida, a dar o seu voto ao PS.

Nervosos e fatigados, compreende-se, os casais vão aguardar os nove meses de gestação que explodirá em Abril de 2010 para aferir dos resultados de tão abnegado esforço e criatividade a que se entregaram de corpo e alma. Os mais optimistas esperam por gémeos, dado o afinco colocado na patriótica tarefa, falsos ou não pouco importa, o que está em jogo são os euros: 400 se vierem aos pares; seria, dado a crise em que nos encontramos um pequeno, mas bem-vindo jackpot. E porque os partos prematuros também acontecem, os benefícios de mais alguns meses de juros não seriam de rejeitar.

Logo pela manhã, pelas esquinas, nos cafés ou no emprego – houve, obviamente, muitas baixas nesse dia – o pessoal fazia contas: «numa estimativa efectuada pela DECO, um depósito a prazo aberto com 200 euros, mantendo-se a taxa de juros em vigor, renderá daqui a 18 anosem 2027 -- 252,35 euros. Cerca do dobro do valor inicial investido.»

Conhecedores do maná proposto pelo PS, os telefonemas, SMS, encontros imediatos e outros mais tardios não se fizeram esperar anunciando a boa-nova. Caíram em catadupa saudações de muitas organizações e até a de um Prémio Nobel do “embuste”. O pessoal andava eufórico: “ainda está para nascer um primeiro-ministro como este”, gritavam em uníssono.

Esperamos que o Primeiro-ministro o exemplo e se tenha esforçado para que dentro de dezoito anos, com o prémio agora por si proposto ainda lhe seja possível comprar alguns pós de vergonha.

Em Espanha, cada recém-nascido tem direito a dois mil e quinhentos euros (2500€). Se «o PS vai compensar as famílias com 200 euros por cada bebé que nasça em Portugal», como serão “compensadas as famíliascujos bebés são obrigados a nascer nas maternidades espanholas? Melhor ainda será nascer na Alemanha onde os recém-nascidos têm direito a vinte e cinco mil euros pagos durante 12 meses.

Pobre Prior de Trancoso que, não obstante ter a sorte de ter sido súbdito de um rei inteligente, teve a desdita de no seu tempo não ter ainda nascido um primeiro-ministro como este.

O prémio de 200 euros a que os distinguidos terão acesso dentro de dezoito (18) anos será designado como “Prémio Prior de Trancoso”.

É justo.

4 comentários:

Maria disse...

Bom dia, Cid!
Excelente texto, este, que me pôs um sorriso logo de manhã...

Um abraço

Sérgio Ribeiro disse...

Fizeste-me rir a valer. Isto é, de gosto/gozo silencioso. Lembrando-me o Daniel Filipe e... que o amor tem carácter de urgência! "De corpo e alma"? Sim, porque nestas coisas a ialma tem de dar uma ajudinha...
Abraço

samuel disse...

Momento inspirado! Muito bom! :-)))

Abraço.

J.S. Teixeira disse...

Esta proposta do Sócrates é, de facto, um embuste eleitoralista mas profundamente demagógico. Mesmo que fosse exequível não passava de uma triste esmola. O que serão 200€ daqui a 18, 19, 20...anos? Com a inflação a subir em flecha todos os anos, estes 200€ nem sequer servirão para as pessoas comprarem um par de meias e uns sapatos.