quarta-feira, 22 de abril de 2015

Conciliar o inconciliável ou conciliábulo?

 Vamos lá conciliar o vinagre com o azeite.
É o PS!... Tal e qual. A linguagem imprecisa semeando esperanças nos trabalhadores e garantindo certezas ao patronato.

O bilderberguer Costa, anuncia que «reduzirá ao mínimo os contratos a prazo». Mínimo em relação a quê? Com esta falácia deixa em aberto todos os cenários possíveis de imaginar, de reduções que podem ir de 0,0001 a 0,02 e, muito “honestamente”, poder afirmar que esse mínimo foi o máximo conseguido.

«Despedimentos conciliatórios…» Quanto aos despedimentos, não põe em causa a legislação laboral com todas as ratoeiras e artifícios que tem feito de Portugal uma gigantesca ‘Praça da Jorna’ que os governos põem à disposição do patronato nacional e estrangeiro.

É bom não esquecer que o lay-off foi introduzido por Mário Soares e relembrar que os 150.000 postos de trabalho foram prometidos pelo recluso 44, o tal que se chegar a tempo entrará na campanha de António Costa ambos com o ferrete Bilderberg.


2 comentários:

Olinda disse...

O PS conivente com o neoliberalismo!Como tal deve ser tratado como partido de direita e inimigo do povo.

Abraco

Rogerio G. V. Pereira disse...

Excelente post