segunda-feira, 6 de abril de 2015

Manifestos e Manifestantes


Professores universitários, na sua quase totalidade, assim como outros intelectuais de nomeada, divulgam manifestos apelando à unidade da esquerda, como se a esquerda vivesse e se esgueirasse por entre neurónios cultivados em mentes literatas.
Porque surdos ou distraídos, não ouvem os protestos recentes que a ‘intoxicação social’ esconde avaramente, mas que não escapam aos mais atentos.
Estudantes e agricultores manifestaram-se. Greves na CP e na Jado Ibéria assim como a Dyrup. Na LBC Tanquipor a greve foi suspensa, mas os trabalhadores nos hotéis Tivoli (Lisboa, Jardim, Sintra e Seteais) fizeram greve. Num plenário sindical da Hotelaria da RA da Madeira foi convocada greve para os dias 18 e 19 de abril. Os trabalhadores da Patiner em Mangualde paralisaram e na ZAS Transportes e Logística em Vila do Conde e no Grupo Transportes Nogueira. Nas minas da Panasqueira a luta acelera. Dirigentes Sindicais dos Têxteis manifestaram-se em Famalicão junto à Riopele. Greve Na Prosegur. O SC Braga foi condenado a reintegrar trabalhadores e a Unicer foi obrigada a assinar contratos efetivos com dois trabalhadores.

Não redigiram manifestos, lutaram unidos, manifestaram-se

Para os bem-pensantes, greves e lutas são uma chatice, é necessária organização e trabalho. Para quê tanto chinfrim se tudo se pode resolver nos intervalos das aulas, em amena cavaqueira, na cantina da universidade?

Está na hora, dizem eles, sem se aperceberem que chegam sempre atrasados.
«GRANDE PARTE DOS INTELECTUAIS TRANSPORTAM CONSIGO O ESTIGMA DE CLASSE, TALVEZ GOSTASSEM DE COMPREENDER, MAS NÃO CONSEGUEM. SE OU MENOS FIZESSEM UM ESFORÇO!...»

4 comentários:

filipe disse...

Judiciosas considerações, para os tempos que correm...não obstante poderem deixar em estado de choque os visados - e mais alguns que, não sendo os visados, se deixam andar enredados nessa mítica "unidade", embalados pelas suas superiores e umbigais competências!...
Um abraço!

Sérgio Ribeiro disse...

Escrito a pensar e para fazer pensar. De quem a citação final?

Forte abraço

Olinda disse...

Mas esses professores universitârios,quando apelam ä unidade de esquerda,nao pensam em luta de classes.Gostava de vë-los no dia 6 de Junho,na rua em protesto,com sentido de esquerda.

Abraco

Rogerio G. V. Pereira disse...

«GRANDE PARTE DOS INTELECTUAIS TRANSPORTAM CONSIGO O ESTIGMA DE CLASSE, TALVEZ GOSTASSEM DE COMPREENDER, MAS NÃO CONSEGUEM. SE OU MENOS FIZESSEM UM ESFORÇO!...»

Quando estão quase a conseguir
olham para o lado
e aceleram o passo
(para fugir)