quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

O sonho-americano à bala

Inicialmente pensei que fosse anedota. Mas a minha questão não se coloca em relação a este sujeito, mas sim quanto aos indivíduos, ditos bem-pensantes, doutorados e outros cascalhos, que continuam a nos fazer crer que existe ‘o sonho americano’ e que os Estados Unidos são os defensores dos Direitos Humanos e os porta-bandeira da democracia.

Que “os docentes tenham treino militar e saibam manejar armas de fogo”!... “algo muito mais eficaz e económico do que pagar a guardas”!... 


O meu problema não está no Trump, mas nos cobardes e coniventes, que têm ao seu dispor a media e se encolhem por conivência.

E se estas afirmações fossem proferidas por Maduro, Raul Castro ou Evo Morales!?

2 comentários:

Francisco Manuel Gentil Apolónio disse...

E porque não fazer de todo o Povo dos EUA um exército e colonizarem o mundo?

Olinda disse...

Existe documentação abundante que demonstra que o partido nazi alemão se inspirou nos movimentos de extrema direita americana.Ho Chi Minh,ao assistir a um linchamento de um negro pela Ku Klux Klan,analisou a semelhança com a ideologia fascista.É famosa a frase de José Marti alertando para o perigo imperialista dos EUA:Cuidado com a besta fascista,eu vivi no monstro e conheço-lhe as entranhas.A história dos EUA,é toda ela uma história de agressão,interna e externa.O sonho americano,paga-se bem como os DDHH.Abraço