domingo, 26 de julho de 2015

26 de Julho de 1953




Em 26 de Julho de 1953, Fidel,Raul e outros revolucionários tentaram conquistar os quartéis Moncada em Santiago de Cuba e Carlos Manuel de Céspedes em Bayamo.
O objectivo era obter armas que posteriormente distribuídas à população levassem ao início da insurreição contra a ditadura sangrenta de Fulgêncio Batista.
Derrotados, os assaltantes foram assassinados ou presos.
Fidel foi julgado e condenado a 15 anos de prisão, a sua defesa, A História me Absolverá é um programa de governo que a revolução vitoriosa viria a cumprir.
Libertado dois anos depois, devido à pressão internacional, parte para o México onde organiza um grupo em que se integram, entre outros, o Che e Raul Castro
Desembarcam em Cuba em 1956 e encetam uma luta que, com o apoio da população leva à derrota de Batista que posteriormente se asila em Portugal.
Cuba é libertada após um período neo-colonial (1902-1958), em que o governo dos EUA sucede à coroa espanhola, no controlo do mercado cubano e na consolidação da estrutura do monopólio, permitindo-se intervir em Cuba sempre que os interesses norte-americanos o justifiquem (Emenda Platt).
O país subdesenvolvido em que 75% das terras estava na mão de 8% dos proprietários, em que 45% das crianças entre os 6 e os 14 anos não frequenta escolas é transformada pela entrega da terra a quem a trabalha, pela criação de um sistema de saúde, segurança social e educação gratuitas, após uma campanha de alfabetização em que voluntários partiram para o campo para erradicar o analfabetismo (1961).
Para apoiar a eliminação da desnutrição cria-se, nomeadamente uma carta de racionamento que quase gratuitamente assegura o acesso a alimentos essenciais.
Hoje é reconhecido internacionalmente o progresso na saúde, na saúde, na investigação e,
apesar dos ataques terroristas, da invasão gorada de Playa Girón, apesar do bloqueio que, desde 1962 causou danos materiais no valor de 90 mil milhões de euros, não se contabilizando os danos na saúde e as vítimas mortais, consequência do bloqueio ao acesso a medicamentos e tratamentos que poderiam ter salvo vidas e minorado dores.
A cooperação e a solidariedade de Cuba com povos de todo o mundo (merecendo realce o seu empenho na luta em Angola, decisivo para o fim do Apartheid).,a criação de organismos de cooperação na América Latina e Caraíbas que levarão à segunda e definitiva independência da América Latina e Caraíbas, e o consequente isolamento dos EUA nesta região, levaram ao reatamento  das relações diplomáticas entre Cuba e Estados Unidos.
Mantendo-se o criminoso bloqueio e a ocupação ilegal do território de Guantánamo, mais uma vez a solidariedade internacional dará o seu contributo nesta nova fase da luta em defesa da revolução cubana.
Neste dia da Rebeldia em que se celebra o ataque aos quartéis Moncada e Céspedes, reafirmamos o nosso compromisso de solidariedade com a revolução cubana e a luta do povo cubano revolucionário!

VENCEREMOS!

1 comentário:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Ontem, coloquei Havana e Detroit lado a lado...
e hoje vou roubar-te a foto, para o post que já estava agendado