segunda-feira, 27 de setembro de 2021

A BARRICADA - Sidónio Muralha

A BARRICADA

 

Vieram os traidores com suas botas

que pisaram o povo no passado,

esse passado sempre relembrado

com os seus aljubes e aljubarrotas

 

Eram corruptos, canalhas, agiotas,

que marchavam soturnos, lado a lado,

cada qual só pensava ser vingado

e ruminava as trevas das derrotas.

 

Vieram os traidores. Eram fileiras.

Mas Abril abriu suas trincheiras

com os seus guardas de perfis humanos.

 

De norte ao sul da terra portuguesa,

revigorada, existe uma certeza:

-- haja o que houver, não passam os tiranos.

 

Sidónio Muralha