quarta-feira, 17 de março de 2010

Manuel Laranjeira e o PEC

Manuel Laranjeira

Em Portugal uma parte ínfima do esforço empregado redunda em trabalho utilizado. O resto é integralmente esforço desperdiçado. Como querem pois que haja amor ao trabalho, se o produto do trabalho representa uma insignificância que não valoriza senão uma parte mínima do esforço feito?

Não compensar o trabalho é aniquilar o estímulo de trabalhar.


E até certo ponto, se não é justo, é pelo menos explicável que homens, que em outro meio seriam prodigiosas fontes de riqueza e de progresso, respondam invariavelmente aos que os incitam a fazer alguma coisa:


«Não vale a Pena»."


Excerto de textos escritos entre finais de 1907 e início de 1908 e compilados sob o título de "O Pessimismo Nacional".

(publicação: Padrões Culturais Editora, 2009)



2 comentários:

Meg disse...

Cid,

Até parece que o subsídio de desemprego é uma esmola!!!
Para que é que eu desconto (sou obrigada a descontar) para a Segurança Social?
Que grande "grande brinde" ao patronato!
E se tu soubesses como há tanto dinheiro neste triste país!
Cid, estou esgotada e quase desistente de pensar.

Um abraço

José Augusto Nozes Pires disse...

Grande texto, grandes textos dos nossos antigos! Trazê-los para o actual é como trazer os textos de Marx para hoje. Os nossos «Marx»...Os socialistas de antigamente.